segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Doom Annihilation (2019) - Crítica





Bom, não pude ir ver o filme do Coringa e me apareceu esta pérola para assistir via SkyGato.

Se você assistiu e gostou, que bom! Essas 1h30m foram positivas para você, eu infelizmente achei que perdi tempo sem me divertir e olha que gosto de filmes ruins como Super Mario Bros e Street Fighter!

Fui assistindo e anotando as partes que mais me frustraram e vou copiar e colar abaixo, pois essas palavras escritas no calor e raiva do momento podem ter passado em sua mente ao ver essa chacota mal feita que lembra obras do Uwe Boll.


Uniforme de proteção genérica, lembra Starship Troopers quando colocam o capacete e tem um personagem que parece que saiu do Gears Of War.

Personagens chatos e sem carisma, capitão da nave extremamente clichê, soldados despreparados, cientistas loucos e para não perder o costume também são extremamente clichês, inteligência artificial desnecessária a lá 2001 - Uma Odisseia no Espaço, atuações exageradas, informações inúteis e não param de falar bosta por um minuto. Cara, como esses roteiristas escreveram BLABLABLÁ... cansa!

A falta de criatividade atinge o pico quando eles reutilizam o nome do cientista do primeiro filme, Dr John Carmack, numa referencia aos criadores do jogo (John Carmack e John Romero).


Os zumbis, novamente são cientistas em vez de serem soldados como no jogo e mais parecem o Nosferatu do filme preto e branco ou aqueles zumbis em CGI do filme Eu Sou A Lenda, os monstros parecem algo que saiu da série Power Rangers ou qualquer série fuleira de quinta categoria, perde muito em comparação com os monstros do filme de 2005.

As cenas de ação não empolgam nem um pouco, a trilha sonora é fraquíssima, digna da biblioteca do Youtube SEM NECESSIDADE DE ATRIBUIR O NOME DO ARTISTA de tão sem graça que é




Para a Id Software, responsável pelos jogos da franquia dizer que não estava envolvida no desenvolvimento do filme já era uma grande pista para saber que não respeitaram em nada a alma do jogo na adaptação

Cenários sem vergonha de baixo custo, um filme independente faria melhor. Outro detalhe é que o filme é iluminado demais, lembra aquelas séries fracas do canal Sci-Fi.

Eles jogam referências do jogo no filme a todo momento de uma forma bem porca e sem necessidade para a trama, algo como um show de trívia aleatório e que acabou me desagradando como fã do jogo, pois eu queria ver CENAS que lembrassem o jogo e não frases soltas que lembram partes do jogo e até opção de dificuldade. Ridículo...

PS - O close que mostra o "pé de coelho" de chaveiro pra dizer que "Olha como conhecemos o game, sabemos como é o final do Doom original", me deu um vazio existencial e sinceramente nessas horas se eu tivesse as condições, eu faria uma adaptação melhor e até colocaria o coelho do DoomGuy no filme de uma forma melhor.

A única parte que eu ligeiramente goste foi quando UM PADRE (nem lembro como ele aparece, estava distraído no celular de tão entediado) diz que os cientistas erraram ao achar que tinham encontrado um portal para outros planetas, pois o portal levava para o inferno. Isso quase me levou para o clima que o filme deveria seguir, mas ai acaba desabando novamente.

O filme não tem ritmo constante, é muita conversa e um pouco de ação que depois se converte em mais conversas e depois um pouco mais de tiros e depois eles sentam e vão conversar... Meu Deus que desperdício de tempo


A personagem Joan Dark que pelo nome me lembrou Perfect Dark (N64) não faz nem presença, difícil até lembrar que ela é a protagonista do filme e que deveria representar o personagem DoomGuy do jogo.

A cena da BFG é tão semelhante ao do filme de 2005 só que totalmente inferior, ainda mais quando Joan explica a piada do nome da arma, que no caso do The Rock em 2005 além de ser mais sutil foi engraçada. Fora o baixo poder de destruição da BFG 2005 vs 2019, uma tristeza atrás da outra esse Doom Annihilation.

O que mais me causou revolta é ver o final com aquele gancho gigantesco para uma continuação. Os produtores, roteiristas e atores depois de terem visto o filme em sua pós produção devem ter cagado de rir disso tudo ou chorado de vergonha, porque não é possível alguém participar de algo com nome tão icônico e não perceber a cagada concebida em cima de algo tão simples quanto a história do jogo DOOM que o próprio John Carmack diz que foi tão importante quanto uma história para um filme pornô.


Para não dizer que odiei 100% do filme, eu gostei mesmo da ideia de mostrar o portal que lembra os warps de jogos antigos, mostrar que os demônios do inferno que trouxeram a sabedoria da matemática e ciência para os humanos que acabariam evoluindo e descobrindo esses portais.

Resumindo, Doom Annihilation é inferior ao filme de 2005 com Carl Urban e The Rock, não pelo fato de mudar o protagonista por uma mulher, mas pelo roteiro fraquíssimo, pela falta de criatividade até mesmo comparado com o filme anterior, pelo cenário genérico e armas mal feitas que perdem feio até para as armas de eventos de cosplay, pela fraca atuação e química entre os atores, pelas milhares de referências aos jogos da franquia mas que na prática não serviram pra nada, enfim, filme bosta, próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário